Influência da variação lingüística e da consciência morfossintática no desempenho em leitura e escrita

Sandra Regina Kirchner Guimarães

Resumo


O objetivo deste estudo foi investigar a influência da variação lingüística e da consciência morfossintática nas diferenças de desempenho em leitura e escrita de alunos da 2ª, 3ª e 4ª séries do ensino fundamental. Participaram da pesquisa 36 alunos de escolas públicas de Curitiba/PR: 18 crianças com dificuldades de aprendizagem da leitura e da escrita (grupo 1) e outras 18 sem dificuldades de aprendizagem (grupo 2). Os instrumentos de coleta de dados avaliaram: a variação lingüística; a consciência morfossintática e o desempenho das crianças em provas de leitura e ditado. Tinha-se como hipótese que a consciência morfossintática se correlaciona positivamente com o desempenho em leitura e escrita, enquanto a variação lingüística se correlaciona negativamente. Essa hipótese foi confirmada. Destaca-se, entretanto, que 72,15% das formas lingüísticas não-padrão utilizadas pelos alunos do grupo 1 são empregadas pela maioria dos falantes do português brasileiro, portanto, são formas não-estigmatizadas. Infere-se que a utilização dessas formas lingüísticas pode estar dificultando a escrita correta por parte dessas crianças. Sugere-se que os professores aproveitem os episódios de variação lingüística para levar os alunos a refletir sobre os aspectos morfossintáticos da língua, garantindo-lhes uma capacidade de expressão, oral e escrita, cada vez mais adequada e competente.

 

Palavras-chave: desempenho em leitura e escrita; variação lingüística; consciência morfossintática.


Palavras-chave


desempenho em leitura e escrita; variação lingüística; consciência morfossintática; reading and writing performance; linguistic variation; awareness morphological/syntactic

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v9i2.4795

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076