OBTENÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE MARGARINA CONVENCIONAL E LIGHT À BASE DE ÓLEO DE PEQUI

EMANUEL NETO ALVES DE OLIVEIRA, DYEGO DA COSTA SANTOS, JOABIS NOBRE MARTINS, LUCIANA CRISTINA NOGUEIRA DE MORAES BEZERRA

Resumo


Este estudo teve por objetivo desenvolver margarinas convencional e light à base de óleo de pequi e avaliar suas características físico-químicas, microbiológicas e sensoriais. O óleo utilizado (adquirido de associação de pequenos produtores) foi submetido a determinações físico-químicas e microbiológicas antes do processamento e mostrou valores satisfatórios para o processamento subsequente. As margarinas elaboradas foram submetidas à análises físico-químicas, microbiológicas e sensoriais, verificando-se a intenção de compra dos produtos. As margarinas apresentaram teor de lipídios totais de 79,48% (Convencional) e 61,25% (Light), com redução média do valor calórico de 23%. A margarina convencional apresentou umidade e pH inferiores aos da margarina light, e valores superiores para índice de acidez, índice de acidez em ácido oleico, índice de iodo e insolúveis orgânicos no éter. As margarinas ainda apresentaram índice de peróxido de 0,0090 meq/Kg, densidade a 25°C de 0,3092 g.cm-3 e a 40°C de 0,3030 g.cm-3 (para a convencional) e índice de peróxido de 0,0078 meq/Kg, densidade a 25°C de 0,3182 g.cm-3 e a 40°C de 0,3125 g.cm-3 (para a light). A margarina convencional alcançou maior índice de aceitação que a light, assim como maior intenção de compra. Concluiu-se que as margarinas elaboradas enquadraram-se nos padrões estabelecidos pela legislação brasileira e obtiveram índice de aceitação favorável. A elaboração de novos produtos à base do óleo de pequi ajuda a controlar o excedente de produção do fruto no pico da safra.


Palavras-chave


Caryocar coriaceum Wittm.; ÓLEO DE PEQUI; MARGARINA CONVENCIONAL; MARGARINA LIGHT; CONTROLE DE QUALIDADE.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fcep.v29i2.25508

Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos. ISSN:19839774