INFLUÊNCIA DOS SISTEMAS DE CULTIVO ORGÂNICO E CONVENCIONAL NA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE HORTALIÇAS

KETTELIN APARECIDA ARBOS, RENATO JOÃO SOSSELA DE FREITAS, SÔNIA CACHOEIRA STERZ, MARLOS FERREIRA DORNAS

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a influência do sistema de cultivo sobre a atividade antioxidante de alface, rúcula e almeirão. Para tanto, sementes do mesmo lote dessas hortaliças foram plantadas nos sistemas orgânico e convencional de forma que a maturidade comercial fosse atingida ao mesmo tempo para ambos os sistemas. A atividade antioxidante dos extratos metanólicos das hortaliças foi determinada pelo método da redução do radical livre 1,1-difenil-2-picrilhidrazil (DPPH). Todas as hortaliças investigadas exibiram propriedade antioxidante, porém com variação na intensidade dependendo da espécie estudada, da concentração do extrato e tipo de cultivo, destacando-se a ação superior encontrada nas hortaliças orgânicas. A atividade antioxidante contra o radical livre DPPH  em ordem decrescente foi: rúcula orgânica > almeirão orgânico > alface orgânica > rúcula convencional > almeirão convencional > alface convencional. Dessa forma, recomenda-se o consumo de hortaliças, em particular aquelas provenientes de cultivo orgânico como parte integrante da dieta, pois podem representar importante fonte de antioxidantes naturais.

Palavras-chave


HORTALIÇAS; AÇÃO ANTIOXIDANTE; CULTIVO ORGÂNICO; CULTIVO CONVENCIONAL; DPPH. VEGETABLE; ANTIOXIDANT ACTION; ORGANIC CULTIVATION; CONVENTIONAL CULTIVATION; DPPH.

Texto completo:

PDF


Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos. ISSN:19839774