AVALIAÇÃO DA VIDA ÚTIL E DE EMBALAGENS PARA TOMATE DE MESA EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO

MARIA MADALENA RINALDI, DELVIO SANDRI, BRUNA NASCIMENTO OLIVEIRA, RAIMUNDA NASCIMENTO SALES, RIVIA DARLA ALVARES AMARAL

Resumo


O o

bjetivo deste trabalho foi determinar a vida útil pós-colheita e o tipo mais adequado de embalagem para conservar tomate de mesa, cultivar Dominador, armazenado em condição ambiente e sob refrigeração. O produto foi acondicionado em embalagens de polietileno de baixa densidade com espessura de 35

m e em bandejas de poliestireno expandido revestidas com filme flexível de policloreto de vinila com espessura de 30 m. Tomate sem embalagem serviu como testemunha. O armazenamento ocorreu em condição ambiente, com temperatura de 24°C  5ºC e umidade relativa de 52%  5%, e refrigerado na temperatura de 12°C  1ºC e umidade relativa de 90%  5% por nove dias. Os tomates foram caracterizados quanto ao peso, diâmetro, comprimento, espessura de polpa e tamanho do lóculo. No início e aos quatro, sete e nove dias de armazenamento foram determinados o pH, sólidos solúveis e a perda de massa das amostras, avaliando-se a aceitabilidade e a intenção de compra dos frutos. Adotou-se delineamento experimental inteiramente casualizado, com três repetições. De acordo com as condições experimentais, as embalagens mais adequadas para conservar os tomates foram as bandejas de poliestireno expandido revestidas com filme flexível de PVC, pois mantiveram suas características físico-químicas e reduziram as perdas de massa. Os frutos submetidos à temperatura ambiente sem embalagem também apresentaram vida útil considerável. A maior intenção de compra ocorreu para os frutos submetidos a esses dois tratamentos.

m e em bandejas de poliestireno expandido revestidas com filme flexível de policloreto de vinila com espessura de 30 m. Tomate sem embalagem serviu como testemunha. O armazenamento ocorreu em condição ambiente, com temperatura de 24°C  5ºC e umidade relativa de 52%  5%, e refrigerado na temperatura de 12°C  1ºC e umidade relativa de 90%  5% por nove dias. Os tomates foram caracterizados quanto ao peso, diâmetro, comprimento, espessura de polpa e tamanho do lóculo. No início e aos quatro, sete e nove dias de armazenamento foram determinados o pH, sólidos solúveis e a perda de massa das amostras, avaliando-se a aceitabilidade e a intenção de compra dos frutos. Adotou-se delineamento experimental inteiramente casualizado, com três repetições. De acordo com as condições experimentais, as embalagens mais adequadas para conservar os tomates foram as bandejas de poliestireno expandido revestidas com filme flexível de PVC, pois mantiveram suas características físico-químicas e reduziram as perdas de massa. Os frutos submetidos à temperatura ambiente sem embalagem também apresentaram vida útil considerável. A maior intenção de compra ocorreu para os frutos submetidos a esses dois tratamentos.


Palavras-chave


Lycopersicon esculentum; EMBALAGENS; TOMATE – ACONDICIONAMENTO; AVALIAÇÃO SENSORIAL.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fcep.v29i2.25510

Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos. ISSN:19839774