OTIMIZAÇÃO DA RESTITUIÇÃO FOTOGRAMÉTRICA DIGITAL URBANA: RELAÇÃO ESCALA DA FOTOGRAFIA E A RESOLUÇÃO GEOMÉTRICA DA IMAGEM

Roberto Elizeu Preosck, Edson Aparecido Mitishita, Alzir Felippe Buffara Antunes

Resumo


Atualmente, pode se afirmar que grande parte dos mapeamentos fotogramétricos
realizados no país ainda é realizada com imagens digitais provenientes de câmaras
aerofotogramétricas analógicas e da digitalização dos negativos com o emprego de
scanners fotogramétricos. Isto é devido aos elevados custos de uma câmara digital
aerofotogramétrica, da impossibilidade da utilização de câmara digital
aerofotogramétrica nos recobrimentos em todas as escalas, das dificuldades
operacionais existentes com a utilização de câmaras digitais não fotogramétricas e
sem dúvida, do processo de aproveitamento de tecnologias já existentes nas
empresas de mapeamento aerofotogramétrico. Apesar da grande mudança no
processo produtivo analógico-digital, pouca coisa foi modificada ou proposta com
relação à resolução geométrica da imagem versus escala de mapeamento. Os
mesmos conceitos e conhecimentos adquiridos com a fase analógica continuam
sendo utilizados no dias atuais sem nenhuma alteração significativa para a era
digital. Variáveis existentes no processo de obtenção de imagens digitais, em
função da escala do recobrimento aéreo e resolução da digitalização, podem ser
combinadas a fim de garantir melhor desempenho do processo de mapeamento
fotogramétrico digital, com vista à maximização da relação Benefício/Custo. Como base nesta condição, apresenta-se neste trabalho uma nova proposta metodológica
para a realização de mapeamento aerofotogramétrico urbano na escala de 1:2.000 que tem por objetivo à maximização de desempenho no que se refere à facilidade
operacional, menor tempo no processo produtivo, exatidão posicional necessária e
menor custo no processo produtivo.

Palavras-chave


Spatial Resolution; Pixel Size; Digital Photogrammetry; Resolução Espacial; Dimensão do Pixel; Fotogrametria Digital

Texto completo:

PDF


Boletim de Ciências Geodésicas. ISSN: 1982-2170