GERAÇÃO DE ORTOIMAGENS A PARTIR DE GEORREFERENCIAMENTO DIRETO DE IMAGENS DIGITAIS AÉREAS DE PEQUENO FORMATO COM DADOS LIDAR

Marlo Antonio Ribeiro Martins

Resumo


Uma das mais recentes tecnologias que apareceu no mercado para
auxiliar mapeamento cartográfico, é o Sistema Laser Scanner Aerotransportado
– SLSA, que gera uma nuvem de pontos da superfície com alta precisão. A
informação altimétrica do SLSA associada as imagens aéreas de alta resolução
permitem obter ortofotos com rapidez e precisão. Porém, esta associação
geralmente é realizada utilizando dados de distintos levantamentos, ou seja, um
levantamento para os dados do SLSA e outro para as imagens aéreas. O ideal
seria que esta associação fosse simultânea, em um único levantamento com a
determinação direta dos parâmetros de orientação exterior – POE das imagens
aéreas. Considerando o exposto, a pesquisa realizou esta união simultânea do
SLSA com a Câmara Digital de Pequeno Formato – CDPF, com o objetivo de
confeccionar uma ortofoto, visando tempo, precisão, produção e custo. Esta
integração surgiu com a possibilidade de utilização do Sistema de Navegação
Inercial – SNI do SLSA para orientar as imagens aéreas digitais oriundas da
CDPF de maneira direta. Para realizar esta integração foi realizado um
aerolevantamento em uma região com alvos pré-sinalizados, com o SLSA e a
CDPF simultâneos. Após o voo foi determinado o braço e o giro (ΔX0, ΔY0,
ΔZ0, Δκ, Δφ, Δω) da CDPF em relação ao SNI do SLSA. O braço foi
determinado por topografia e o giro foi determinado por georreferenciamento
indireto. Depois de determinado o braço e o giro foram realizados mais dois
voos em distintas datas. Estes foram utilizados para a realização de quatro
experimentos. Os experimentos consistiram na geração de ortofotos na escala
1/2.000 utilizando os POE do SNI do SLSA, sendo que dois experimentos não
utilizaram pontos de apoio topográfico e dois utilizaram somente quatro pontosde apoio de topográfico. Os experimentos que não utilizaram os pontos de apoio
não atingiram a exatidão da escala 1/2.000 proposta inicialmente, sendo que um
atingiu a exatidão da escala 1/5.000 e o outro a exatidão da escala 1/10.000. Já
os experimentos que utilizaram os quatro pontos de apoio atingiram a exatidão
da escala 1/2.000, sendo que um experimento atingiu a exatidão da escala
proposta e o outro atingiu a exatidão da escala 1/1.000.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fbcg.v17i4.25410

Boletim de Ciências Geodésicas. ISSN: 1982-2170