O Meio como o Lugar da História

Patrícia de Mendonça Rodrigues

Resumo


Neste artigo pretendo formular alguns princípios gerais de uma teoria Javaé da ação ou da criação da realidade, ou de como a realidade social é criada/transformada através da agência humana (uma definição de "história"). Nessa teoria nativa, expressa através da mitologia e das práticas sociais, o sujeito da criação não é a mente de um indivíduo racional e independente, mas uma relação entre dois sujeitos/corpos. Toda criação, seja dos corpos dos filhos ou das formas sociais, é pensada como o produto paradoxal da interação/fusão entre um corpo masculino e um feminino, um eu e um outro, continuidade e mudança. Como não há uma separação entre matéria e espírito, corpo e mente ou natureza e cultura, toda criação é concebida como procriação, de modo que o estudo dos conceitos e práticas corporais é também o estudo da etno-história Javaé.


Palavras-chave


Javaé; etno-história; agência; gênero.

Texto completo:

PDF


Apoio
Fundação Araucária
CNPq e CAPES
Programa de Apoio à Publicação de Periódicos Científicos - UFPR
Campos - Revista de Antropologia Social. ISSN: 1519-5538