"De que Riem os Poderosos?" O Riso Soberano da Poesia

Maria Heloísa Martins Dias

Resumo


As relações tensivas entre o discurso autoritário do Poder e a resistência da fala poética sempre foi uma das preocupaçõesdos escritores, em especial, dos que sabem fazer da linguagem literária, não uma arma de combate ou instrumento deengajamento, mas um espaço singular em que consciência lírica e sociedade dialogam na trama mais íntima do tecidopoético. Eis o que um pensador como Adorno, por exemplo, mostrou muito bem em suas postulações sobre a arte e opoeta contemporâneo Affonso Romano de Sant´Anna também exibe em seu poema "De que riem os poderosos?",contido em A catedral de colônia (1985). Nosso propósito é analisar como se dá esse "diálogo", por meio da reflexãosobre procedimentos estéticos presentes no texto do poeta brasileiro.

Palavras-chave


Affonso Romano de Sant´Anna; poesia; realidade sócio-política; transgressão

Texto completo:

PDF


Extensão em Foco
ISSN impresso 1982-4432