GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Acacia polyphylla DC. (MONJOLEIRO) E DE Aspidosperma ramiflorum Müll. Arg. (GUATAMBU)

Antonio da Silva, Marcia Balistiero Figliolia, Ivor Bergemann de Aguiar

Resumo


Foram estudados os efeitos da temperatura, qualidade de luz e umidade do substrato na germinação de sementes de Acacia polyphylla (monjoleiro) e Aspidosperma ramiflorum (guatambu). As sementes de monjoleiro foram umedecidas com 30, 60 e 90 mL de água destilada e incubadas a 20, 25, 30 e 20-30 ºC, na ausência de luz e sob luz dos espectros branco e verde. As sementes de guatambu foram umedecidas com 45, 90 e 135 mL de água destilada e incubadas a 25, 30 e 20-30 ºC, na ausência de luz e na presença de luz dos espectros branco, vermelho e vermelho-extremo. Utilizaram-se como substrato 30 g de vermiculita média, tendo sido avaliados a porcentagem e o índice de velocidade de germinação. As sementes das duas espécies apresentaram elevada germinação nas condições testadas, sugerindo que as plântulas resultantes em laboratório sejam capazes de, em condições naturais, se estabelecerem tanto em clareira quanto sob o dossel da floresta. Os testes de germinação podem ser conduzidos com fotoperíodo de oito horas sob luz branca, a 25 ou 20-30 ºC e com 30 mL de água para monjoleiro, e a 25 ou 30 ºC e com 90 mL de água para guatambu.

Palavras-chave


Semente florestal; qualidade fisiológica; temperatura; luz; umidade do substrato.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Frf.v37i3.9931

Revista FLORESTA
ISSN eletrônico 1982-4688 
ISSN impresso 0015-3826
fone: 41 3360 4219
revista_floresta@ufpr.br