EROSÃO REAL E ESTIMADA ATRAVÉS DA RUSLE EM ESTRADAS DE USO FLORESTAIS, EM CONDIÇÕES DE RELEVO PLANO A SUAVE ONDULADO

Carla Maria Camargo Corrêa, Renato Antonio Dedecek

Resumo


 

Este trabalho teve por objetivo identificar as perdas reais de solo provenientes de trechos de estradas de uso florestal e de suas áreas adjacentes, e comparar com as estimativas obtidas através da Revised Universal Soil Loss Equation (RUSLE). A avaliação das perdas de solo teve início logo após a colheita de madeira e se manteve por um ano, com coletas semanais de solo e em casos de chuva com alta intensidade. As condições de relevo variam de plano a suave ondulado, com caracterização edáfica do tipo Argissolo Vermelho-Escuro álico e Argissolo Vermelho-Escuro Latossólico. Para a adequação da RUSLE, foram considerados os seguintes fatores: erosividade da chuva, obtida através de pluviogramas e cruzados com os dados de pluviosidade da empresa; erodibilidade do solo, calculada em função dos resultados de análises de solo provenientes das áreas; declividade e comprimento de rampa, medidos em campo; e fatores C e P, estipulados através de literatura. Os resultados obtidos evidenciaram significância estatística e alta correlação existente entre os valores reais, mensurados através de calhas coletoras de sedimentos, e os valores estimados através da RUSLE. As perdas de solo provenientes dos trechos de estrada avaliados corresponderam a 99% das perdas totais observadas no experimento.


Palavras-chave


Erosividade; erodibilidade; declividade e comprimento de rampa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Frf.v39i2.14564

Revista FLORESTA
ISSN eletrônico 1982-4688 
ISSN impresso 0015-3826
fone: 41 3360 4219
revista_floresta@ufpr.br