QUALIDADE FÍSICA E FISIOLÓGICA DAS CIPSELAS DE Piptocarpha angustifolia Dusén ex Malme DE DIFERENTES POPULAÇÕES E ÁRVORES PORTA-SEMENTES

Luiz Cláudio Fossati, Antônio Carlos Nogueira

Resumo


Este trabalho teve como objetivo determinar a influência de diferentes populações e árvores porta-sementes na qualidade física e fisiológica das sementes de Piptocarpha angustifolia (vassourão-branco). Selecionaram-se três populações no planalto norte de Santa Catarina, Brasil, coletando-se as cipselas de doze árvores porta-sementes por população. Avaliou-se pureza, umidade, peso, dimensões, germinação, emergência e vigor das cipselas. Os ensaios obedeceram a um delineamento inteiramente casualizado em arranjo fatorial de forma hierárquica. As diferenças entre populações e árvores porta-sementes foram testadas pela ANOVA, e as médias submetidas ao teste de Tukey e Scott-Knott. Foram necessárias amostras de trabalho de 1,29 g de cipselas para o teste de pureza. A espécie possui em média 1.545.104 cipselas.kg-1, diferindo entre árvores porta-sementes. As cipselas medem, em média, 0,62 mm de largura, 3,26 mm de comprimento e 0,58 mm de espessura, dimensões que diferem conforme a árvore porta-sementes. A germinação é de 5,64%, independentemente da árvore porta-sementes e da população. O tempo médio de germinação é de 25 dias, diferindo entre árvores porta-sementes. A emergência média de 5,28% independe de populações e árvores porta-sementes. O tempo médio de emergência é de 71 dias, que difere entre árvores porta-sementes.


Palavras-chave


Sementes florestais; germinação; emergência; vigor; vassourão-branco.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Frf.v39i2.14569

Revista FLORESTA
ISSN eletrônico 1982-4688 
ISSN impresso 0015-3826
fone: 41 3360 4219
revista_floresta@ufpr.br