Le rôle du manuel dans le processus d’enseignement/apprentissage de FLE

Christianne Benatti Rochebois

Resumo


Em qual medida os métodos de FLE (Francês Língua Estrangeira) proporcionam os requisitos mínimos para encorajar as trocas entre as culturas respeitando a diversidade cultural?Esses métodos consideram a diversidade de contextos onde o francês é ensinado? Nos nos propomos nesta reflexão, mostrar por quais meios os métodos tratam a diversidade cultural na era da globalização. O livro didático de base pode ser muito útil, à condição de não se limitar a uma abordagem puramente descritiva, etnográfica ou culturalista, e de levar o aprendiz a formular hipóteses sobre as razões que condicionam os hábitos ou comportamentos diferentes.

O Quadro Europeu Comum de Referência para as línguas propõe aos professores trabalhar sobre diferentes aspectos dos traços distintos característicos de uma sociedade e de sua cultura. Nesta perspectiva, selecionamos uma lista de temas específicos para “abrir” o aprendiz à aquisição de conhecimentos socioculturais, a ter outros olhares da realidade e a se conscientizar da não-universalidade de sua cultura. Constituímos para isso, uma tabela de analise para estudar o conjunto do conteúdo sócio-cultural dos manuais, cujos tópicos foram formuladas em função do nosso objetivo especifico, analisar os conteúdos sócio-culturais dos manuais sob o ângulo da diversidade.


Palavras-chave


Letras; Linguistica

Texto completo:

PDF


Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)