Tensões entre pesca, turismo e exploração de gás reconfigurando ruralidade na ilha de Boipeba – BA

Cristina Maria Macêdo de Alencar

Resumo


Compreendendo-se que o desenvolvimento é um processo histórico em constante movimento, gerador de avanços e retrocessos na superação das desigualdades sociais, contemporaneamente denominadas assimetrias, examina-se a dinâmica social cotidiana na ilha de Boipeba, município de Cairu-BA, e integrante da APA Tinharé - Boipeba, impactada pela questão ambiental e pelo desenvolvimento turístico da Costa do Dendê. Periodiza-se nesse processo o surgimento da atividade de exploração de gás, em janeiro de 2007, quando foram iniciadas as atividades de produção de gás no Campo de Manati BCAM-40, localizado na Bacia Camamu-Almada, o que vem acompanhado das regulações ambientais específicas. Questiona-se se o cumprimento da regulação ambiental tem interferido na vida da população da ilha, dando-se centralidade à pesca artesanal como atividade econômica estruturante do local em seu modo de vida rural, na relação com o turismo e com a produção de gás como indução exógena. A pesquisa foi realizada com bases documental e de campo (2009 e 2010) e aponta como resultados que as atividades turísticas e de exploração de gás constituem um fenômeno (des)organizativo do rural pesqueiro, o que parece ter sido acirrado com a ingerência dos agentes ambientais desde os estudos de impacto ambiental, passando pelo relatório de impacto ambiental e chegando com reforço de assimetrias à intervenção para compensação ambiental.


Palavras-chave


questão socioambiental; desenvolvimento; tensões e reprodução social.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fdma.v23i0.19578

Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109