Intersubjetividad, memoria y reconocimiento. Perspectivas interculturales de la ética y del medioambiente

Ricardo Salas Astrain

Resumo


Neste texto, queremos aprofundar alguns resultados desde uma perspectiva intercultural do meio ambiente, no âmbito de uma história da negação das visões e práticas pertencentes às comunidades de vida. Focaremos o tema do meio ambiente e da ética a partir de alguns aspectos derivados da filosofia de Levinas. Nossa hipótese se inspira na ideia levinasiana de que é necessário assumir resolutamente a ideia da distância e da impossibilidade da globalidade de um pelo outro, ou de um caminho da simples correspondência, pelo ideal do absolutismo do outro, o que implica que na análise do território e dos problemas ambientais é necessário reconhecer que a implantação de um modelo econômico hegemônico impede a emergência de outras subjetividades desinteressadas pelo poder, pelo lucro ou simplesmente pela ação estratégica. Este novo modo de enfrentar a análise intercultural do território nos parece que é fecundo, uma vez que demonstra que o uso das categorias levinasianas do Outro facilita repensar uma fenomenologia do inter-humano, relativa à resistência dos seres humanos e das culturas em oposição ao predomínio do Mesmo.


Palavras-chave


reconhecimento; alteridade; meio ambiente

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fdma.v23i0.20695

Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109