A natureza (dos) nos fatos urbanos: produção do espaço e degradação ambiental

Gislene PEREIRA

Resumo



Este trabalho pretende discutir a relação entre o processo de construção do espaço urbano, a segregação
socioespacial e a degradação ambiental. A urbanização crescente da população no Brasil tem feito com
que os problemas decorrentes desse processo (carência de infra-estrutura, densificação de áreas inadequadas,
degradação ambiental, segregação socioespacial) centralizem nas últimas décadas as discussões
de governantes, técnicos e cientistas sociais. Cabe, então, perguntar: por que nossas cidades não têm a
qualidade que todos queremos, mesmo depois das inúmeras iniciativas preconizadas pelo poder público
para reversão dessas tendências negativas? Nosso interesse aqui é discutir essas questões a partir do caso
particular da cidade de Curitiba, a qual, apesar de vir se destacando por experiências bem sucedidas de
planejamento, segue os padrões brasileiros no que se refere à segregação socioespacial. Entendemos que
a discussão das questões urbanas deve ser centrada nos elementos que contribuem para a segregação
socioespacial e nas possibilidades e limites das políticas públicas de controle do uso do solo respondendo
de forma positiva para a sua superação. A partir do conhecimento da lógica da produção do espaço o
trabalho pretende averiguar as possibilidades de integração das políticas urbanas, com o objetivo de
promover a melhoria da qualidade ambiental.

The nature (of) our urban facts: productions of space and
environmental degradation

Abstract


This work intends to discuss the relation among the process of construction of the urban space, the
social-spacial segregation and the environmental degradation. The growing urbanisation of the Brazilian
population has led the problems which come from such process lack of infrastructure, unsuitable
densification of areas, environmental degradation, social-space segregation to centralize the discussion
of governmental rulings, technicians and social scientists. So, its worthy to ask: why our cities do not
have the quality we want, even after several initiatives advocated by the public policies to revert these
negative trends? Our interest here is to discuss such questions from the particular case of Curitiba city,
the one which, despite of being standing out itself throughout well-succeded experiences of planning,
follows the Brazilian patterns related to the social-spacial segregation. We understand that the discussion
of urban questions must be focused on the elements which contribute to the social-spacial segregation
and on the possibilities and limits of the public policies to answer in a positive way to their overcoming.
From the knowledge of the production logic of the space, this work intends to check out the possibilities
of integration of the urban policies, with the aim of promoting the increasing of the environmental
quality.


Palavras-chave


estruturação urbana; segregação socioespacial; políticas urbanas; urban structure; social-spacial segregation; urban policies

Texto completo:

PDF


Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109