Efeitos de histórias comportamentais sobre o comportamento de seguir regras discrepantes das contingências

Laercio de Sousa Silva, Luiz Carlos de Albuquerque

Resumo


Com o objetivo de investigar o papel de variáveis que podem interferir no seguir regras, 10 universitários foram expostos a um procedimento de escolha de acordo com o modelo; a tarefa era apontar cada um dos três estímulos de comparação em uma dada seqüência. Nas duas condições experimentais, nenhuma resposta era reforçada na Sessão 1 (linha de base). As contingências na Sessão 2 eram alteradas na Sessão 3, e as contingências na Sessão 3 eram mantidas inalteradas na Sessão 4, iniciada com a regra discrepante das contingências. A duas condições diferiam apenas na Sessão 2. Na Sessão 2, a seqüência correta era estabelecida por contingências na Condição RD e por regra na Condição IN. Na Condição RD, 4 dos 5 participantes responderam corretamente, de acordo com as contingências, na Sessão 3 e deixaram de seguir a regra discrepante na Sessão 4. Na Condição IN, 4 dos 5 participantes responderam incorretamente na Sessão 3 e seguiram a regra discrepante na Sessão 4. Esses resultados apóiam a sugestão de que a manutenção do seguimento de regra discrepante pode depender das fontes de controle do comportamento alternativo ao especificado por essa regra na história do ouvinte. Discute-se também o papel de outras variáveis.`

Palavras-chave: regras e contingências; histórias comportamentais; insensibilidade às contingências programadas.

 


Palavras-chave


regras e contingências; histórias comportamentais; insensibilidade às contingências programadas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v11i1.4589

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076