Prevenção primária: análise de um movimento e possibilidades para o Brasil

Fernando Lacerda Júnior, Raquel Souza Lobo Guzzo

Resumo


Este trabalho tem como objetivos refletir sobre a temática da prevenção primária e discutir criticamente sobre algumas das idéias que permeiam este campo. A primeira parte apresenta o surgimento da temática da prevenção em um movimento específico na psicologia dos EUA que critica modelos individualistas e remediativos de atuação. São apresentados aspectos históricos e constitutivos da prevenção primária, a diferenciação entre níveis, tipos e abordagens de prevenção e reflete-se sobre a relação entre prevenção primária e promoção de saúde. Define-se o que são fatores de risco e fatores de proteção e os indicadores e as dimensões do bem-estar. A segunda parte discute problemas e questões controversas no debate sobre a prevenção primária, a partir de noções presentes nos trabalhos de George W. Albee e Emory L. Cowen. Na terceira parte são apresentadas as possibilidades oferecidas por este modelo para a realidade brasileira a partir da crítica a algumas das idéias destacadas. A noção de educação emancipadora e a tomada de uma perspectiva histórica na compreensão da constituição do homem são consideradas como necessárias para a superação do positivismo que permeia noções e práticas preventivas. Enfatiza-se a inseparabilidade entre prevenção e mudança social.

Palavras-chave: prevenção primária; história da prevenção; mudança social.


Palavras-chave


prevenção primária; história da prevenção; mudança social

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v9i2.4797

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076