Estudo de caso: prevenção de recaída para criança e adolescente enuréticos com remissão espontânea

Rodrigo Fernando Pereira, Edwiges Ferreira de Mattos Silvares

Resumo


A literatura aponta o tratamento comportamental com alarme como o mais eficaz para os casos de enurese noturna. Quando um procedimento comportamental adicional, como a superaprendizagem, é adicionado a este tratamento, as taxas de recaída são reduzidas. Neste procedimento há um gradual aumento de ingestão de água imediatamente antes de dormir. Possivelmente o maior controle obtido deve-se a essa combinação atuar tanto nos níveis plasmáticos de vasopressina como na capacidade funcional da bexiga. Os dois casos apresentados são de enuréticos que haviam adquirido o controle recentemente, mas suas famílias demandavam um atendimento para diminuir as chances de recaída. Utilizou-se, então, o alarme conjugado à superaprendizagem desde o início do atendimento, com a finalidade de se estabelecer um controle completo. No primeiro caso, de uma adolescente de dezoito anos, não houve molhadas durante o tratamento. No segundo, de um garoto de oito anos, as molhadas voltaram com a ingestão de líquido e tornaram a cessar, possivelmente por ter sido obtido um controle maior por parte da criança. Acredita-se que o procedimento descrito possa ser útil nos casos de crianças que deixaram recentemente de ser enuréticas ou não alcançam o critério para diagnóstico.

Palavras-chave: enurese noturna; prevenção de recaída; superaprendizagem.


Palavras-chave


enurese noturna; prevenção de recaída; superaprendizagem

Texto completo:

PDF


Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076