Homicídio e lobo frontal: revisão da literatura

Viviane Del Pino, Blanca Susana Guevara Werlang

Resumo


Estudos têm demonstrado relação entre funcionamento cerebral e homicídio. A região cerebral que se destaca, em termos de compreensão dessa relação, é o lobo frontal. Com o objetivo de verificar a produção científica da temática “homicídio” e “lobo frontal”, foi desenvolvida uma revisão sistemática identificando e analisando resumos localizados nos sistemas Medline, PsycInfo, Proquest e Lilacs, no período de 1990 a 2003. Foram examinados vinte e dois resumos em três dimensões de análise: sistema de indexação, ano e país de publicação e delineamento empregado. Constatou-se predomínio de publicações nos sistemas Medline, nos Estados Unidos, com uma concentração por anos mais ou menos homogênea e com delineamento quase-experimental. Os onze artigos com este delineamento foram analisados segundo: tipo amostral, sexo e idade dos sujeitos participantes, técnica de avaliação utilizada, variáveis associadas e principais achados. Estas produções utilizaram com mais freqüência um grupo amostral que incluía predominantemente homicidas, adultos, do sexo masculino e em diferente status judicial. A variável mais pesquisada em relação ao tema foi o transtorno psiquiátrico e as técnicas mais utilizadas foram as neurológicas, neuropsicológicas e as de avaliação psiquiátrica. A maioria destes estudos aponta associação positiva entre comportamento homicida e disfunção frontal.

 

Palavras-chave: homicídio; lobo frontal; funcionamento cerebral.


Palavras-chave


homicídio; lobo frontal; funcionamento cerebral

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v10i1.5712

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076