Estágios motivacionais, sintomas de ansiedade e de depressão no tratamento do tabagismo

Wilson Vieira Melo, Margareth da Silva Oliveira, Elisa Arrenti Ferreira

Resumo


O tabagismo é um problema de saúde pública que tem feito diversas vítimas ao longo dos anos (Gigliotti, Carneiro & Ferreira, 2001). Uma das principais dificuldades encontradas pelos fumantes quando tentam parar de fumar é a motivação (Heather, 1992; Di Clemente & Prochaska, 1985). O objetivo desse estudo quase-experimental foi avaliar a mudança nos estágios motivacionais ao longo das oito semanas de tratamento do tabagismo. A amostra foi composta por 109 sujeitos avaliados em 4 momentos. Os instrumentos utilizados foram as Escalas URICA, BAI, BDI, FTND e o Monoxímetro. Os resultados indicam que os escores de ansiedade e de depressão daqueles que aderiram ao tratamento foram menores do que quando comparados àqueles que não aderiram (p=0,023) e (p=0,022), respectivamente. Ademais, apenas a sub-escala da “Manutenção”, apresentou aumento significativo (p<0,001), uma vez que as demais mantiveram as mesmas médias de pontos. Esse aumento não está relacionado com o nível de dependência de nicotina (p=0,244). O nível de dependência de nicotina também não demonstrou estar relacionado à aderência ao tratamento (p=0,687). Discute-se a importância de se avaliar os estágios motivacionais, a ansiedade e a depressão em tabagistas, pois esses parecem ser fundamentais nesse contexto.

 

Palavras-chave: tabagismo; estágios motivacionais; avaliação.


Palavras-chave


tabagismo; estágios motivacionais; avaliação

Texto completo:

PDF


Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076