Estresse e estratégias de enfrentamento em pacientes que serão submetidos à cirurgia de colecistectomia

André Faro Santos, Lidiane dos Anjos Santos, Daniela Oliveira Melo, Antônio Alves Júnior

Resumo


A presente pesquisa objetivou comparar o estresse em pacientes no pré-operatório da cirurgia de colecistectomia em relação aos pacientes submetidos ao tratamento clínico de gastrite, buscando também delinear as estratégias de enfrentamento utilizadas por esses pacientes. A amostra foi composta por dois grupos, sendo 15 pacientes cirúrgicos e 10 pacientes do tratamento clínico. Para a detecção do estresse utilizou-se o Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp e para o conhecimento das estratégias de enfrentamento, aplicou-se o Inventário de Estratégias de Coping de Folkman e Lazarus. Nos resultados, constatou-se que a maioria dos pacientes cirúrgicos teve estresse (73,3%), enquanto no grupo do tratamento clínico, somente 10% deles apresentaram. Predominaram pacientes na fase de resistência (72,7%) e com sintomas físicos (63,3%). Houve relação estatisticamente significativa entre o sexo e o diagnóstico de estresse, indicando que o sexo feminino apresentou maior ocorrência de estresse na amostra pesquisada (p<0,05). Acredita-se que a cirurgia caracterizou-se como um fator estressante, ressaltando a necessidade da implementação de ações que visem o manejo adequado do estresse, em vista da redução da tensão no pré-cirúrgico e uma melhor recuperação no pós-cirúrgico.

 

Palavras-chave: estresse; cirurgia; enfrentamento.


Palavras-chave


estresse; cirurgia; enfrentamento

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v10i1.5772

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076