Impacto das configurações familiares no desenvolvimento de crianças e adolescentes: uma revisão da produção científica

Débora de Oliveira, Aline Cardoso Siqueira, Débora Dalbosco Dell’Aglio, Rita de Cássia Sobreira Lopes

Resumo


O presente estudo teve por objetivo mapear a produção científica sobre o impacto das diferentes configurações familiares, no desenvolvimento de crianças e adolescentes. Foram selecionados abstracts de periódicos científicos nacionais e internacionais indexados em diferentes bases de dados, através de combinações de descritores. A revisão dos abstracts resultou em 415 artigos produzidos nos períodos de 1955 a 2005, sendo que 401 internacionais e 14 nacionais. Observou-se um maior número de publicações a partir da década de 1990. Na literatura internacional, houve predomínio de estudos empíricos, de caráter quantitativo. Estes focalizavam, em sua maioria, famílias monoparentais e adolescentes, em comparação com crianças. Os resultados também revelaram uma maior freqüência de estudos que não encontraram mudanças e conseqüências significativas de diferentes configurações familiares para o desenvolvimento de crianças e adolescentes. No entanto, percebeu-se que, entre os estudos que identificaram mudanças e conseqüências significativas, houve um predomínio das negativas em relação às positivas, o que faz pensar na estigmatização de configurações diferentes da família nuclear. Ainda que a análise tenha se baseado apenas em abstracts, acredita-se que permitiu vislumbrar o estado da arte sobre o tema.

 

Palavras-chave: diferentes configurações familiares; crianças; adolescentes; "estado da arte".

 


Palavras-chave


diferentes configurações familiares; crianças; adolescentes; estado da arte

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v12i1.9172

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076