Subjetividade: Um Diálogo Interdisciplinar

Miriam Aparecida Graciano de Souza Pan, João Henrique Rossler, Norma da Luz Ferrarini, Luciana Albanese Valore, Sidney Nilton de Oliveira

Resumo


O termo subjetividade tem-se difundido amplamente no campo das ciências humanas e sociais, no entanto, de forma bastante genérica, sem as devidas clareza e precisão conceituais. Na Psicologia, em suas diversas abordagens teórico-metodológicas, por exemplo, tem se tornado apenas mais um jargão sem qualquer significação, o que, por sua vez, contribui para ofuscar tanto suas especificidades como possíveis aproximações teórico-conceituais. Nesse sentido, o presente artigo se propõe a analisar o conceito de subjetividade à luz de distintas perspectivas teóricas do campo da Psicologia. Mais especificamente, a partir de uma análise filosófica do sujeito e da linguagem, da Psicologia Sócio-histórica e de um enfoque discursivo da Psicologia Institucional. Dentre as especificidades e divergências existentes, tal análise ampliada torna possível ressaltar um elemento comum e fundamental entre aportes teórico-metodológicos distintos. A saber, o entendimento da subjetividade como sendo, simultaneamente, produzida por e (re)produtora de relações históricas, sociais e simbólicas; ou seja, como produto de processos educativos (formativos) datados e situados em uma trama complexa, cujas especificidades configuram processos sociais contraditórios que, assim, determinam e/ou recompõem processos objetivos e subjetivos de assujeitamento-resistência ou, em outras palavras, de alienação-emancipação.

 

Palavras-chave: subjetividade; discurso; psicologia sócio-histórica; psicologia institucional.


Palavras-chave


subjetividade; discurso; psicologia sócio-histórica; psicologia institucional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v15i0.25365

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076