Adaptação de Instrumentos Neuropsicológicos Verbais: Um Fluxograma de Procedimentos para Além da Tradução

Rochele Paz Fonseca, Fabíola Schwengber Casarin, Camila Rosa de Oliveira, Gigiane Gindri, Ellen Cristina Siqueira Soares Ishigaki, Karin Zazo Ortiz, Maria Alice de Mattos Pimenta Parente, Lilian Cristine Scherer

Resumo


O uso de versões apenas traduzidas de instrumentos neuropsicológicos padronizados internacionais na clínica brasileira ainda é bastante freqüente. Para que uma ferramenta diagnóstica mensure os processos cognitivos a que se propõe a medir, torna-se essencial uma adaptação de suas instruções e de seus estímulos à realidade brasileira lingüística, cultural e social. O presente artigo de revisão teórica tem por objetivo refletir sobre as particularidades da adaptação de instrumentos neuropsicológicos verbais, propondo um fluxograma de procedimentos de adaptação neuropsilinguística que transcenda à mera tradução. Este fluxograma foi derivado da consulta à literatura de avaliação psicológica, avaliação neuropsicológica, avaliação fonoaudiológica e da experiência clínica e científica das autoras na construção e adaptação de ferramentas clínicas de mensuração de desempenho cognitivo por meio de estímulos verbais. Engloba procedimentos específicos envolvendo três grupos de procedimentos gerais: tradução, análise de juízes e estudo piloto. O contato contínuo com os pesquisadores autores do instrumento original é destacado como uma etapa essencial. A continuidade do processo de adaptação com procedimentos neuropsicométricos é brevemente discutida.

 

Palavras-chave: avaliação neuropsicológica; adaptação; testes verbais; linguagem; neuropsi-colinguística.


Palavras-chave


avaliação neuropsicológica; adaptação; testes verbais; linguagem; neuropsicolinguística

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fpsi.v15i0.25374

Interação em Psicologia. ISSN: 1981-8076