VELHOS E NOVOS INGREDIENTES DA QUESTÃO ALIMENTAR NO BRASIL

José Giacomo Baccarin

Resumo


Analisam-se condicionantes da melhoria da distribuição da renda e dos índices nutricionais no Brasil. Ao mesmo tempo, apontam-se problemas ainda existentes na produção e no consumo de produtos agropecuários e alimentos. Com participação do crédito, preço mínimo e pesquisa, a produtividade e a produção agropecuária cresceram, aumentando sua disponibilidade per capita. Os preços agropecuários se reduziram, contribuindo, juntamente com acontecimentos na indústria alimentícia e no varejo para que os alimentos ficassem 34% mais baratos entre 1994 e 2006. A competitividade do sistema agropecuário brasileiro fica patente no aumento de sua participação nas exportações mundiais. Contudo, ao mesmo tempo, cresceu o endividamento dos agricultores. O sucesso produtivo não se repetiu em termos sociais, com redução na ocupação agropecuária e manutenção de alta concentração da posse da terra, em detrimento da agricultura familiar. Os indicadores de distribuição de renda da população brasileira melhoraram a partir de 1990, com base no controle da inflação, na ampliação dos programas de transferência de renda e no aumento, de 2003 em diante, do emprego formal e salário mínimo. Caíram o número de famílias em extrema pobreza e os índices de desnutrição de crianças e adultos. Entretanto, a concentração de renda no Brasil continua muito alta e permanecem diferenças importantes, com indicadores de pobreza e desnutrição sendo mais altos na zona rural, no norte e nordeste e entre pretos e pardos. Por outro lado, vem crescendo os índices de sobre peso e obesidade, mesmo entre os mais pobres.

Palavras-chave


questão alimentar; produção de alimentos; consumo de alimentos; distribuição de renda; desnutrição

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380%2Fraega.v15i0.14246

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009