MEMÓRIA: UM DESAFIO À AUTONOMIA DO IDOSO

Ana Lucia Fiebrantz Pinto

Resumo


O estudo das funções cognitivas é uma área em franco desenvolvimento no campo da neurociência,
e de interesse geral. Estudos e pesquisas procuram caracterizar os problemas cognitivos e diferenciar o normal
do patológico. Verifica-se que muitos idosos queixam-se de dificuldades de memória e que algum declínio da
função cognitiva pode ser observada no processo de envelhecimento normal, fato que preocupa o idoso e a
família pois geralmente é associado à ideia de dependência. O esquecimento deve ser diferenciado da perda
da memória associada a processos demenciais. As ciências avançam neste sentido e, ressalte-se em especial
a contribuição da neuropsicologia. Estudos demonstram a existência de patologias invalidantes acompanhadas
de déficit importante da função da memória com perda de autonomia e independência. Há que se salientar, no
entanto, a relação da memória com o contexto bio-psic-social do indivíduo. A memória é viva, trabalha e
muda permanentemente.

Palavras-chave


Memória; Envelhecimento; Autonomia; Família; Memory; Aging; Autonomy; Family

Texto completo:

PDF


Família, Saúde e Desenvolvimento. ISSN: 1517-6533