ELITES MILITARES, TRAJETÓRIAS E REDEFINIÇÕES POLÍTICO-INSTITUCIONAIS (1850-1930)

Ernesto Seidl

Resumo


O estudo aborda as condições sociais e culturais de formação da elite do Exército brasileiro entre o Impérioe a Primeira República. Em um contexto de baixa autonomia do domínio militar frente a outras esferassociais, os resultados apontam para o funcionamento de mecanismos híbridos de recrutamento e seleçãoregulados por lógicas contraditórias que fundem princípios meritocráticos (títulos escolares, tempo deserviço, bravura) e extra-meritocráticos (relações personalísticas, notoriedade política) para a ascensãona carreira. Sem desconhecer os efeitos da expansão do sistema escolar militar e a adoção de critériosformais de regulação, o estudo procurou explorar os impactos objetivos de tais inovações sobre aquelaesfera profissional dando espaço para a análise das variadas combinações de recursos e estratégias acionadospelos agentes sociais, em especial o uso de relações baseadas na reciprocidade pessoal e as tomadasde posição política. A reconstituição do espaço militar brasileiro a partir do exame das trajetórias de altosoficiais procura contribuir para a compreensão das concepções que os agentes apresentam como legítimoou ilegítimo, as condutas sendo lidas de modo variável segundo o ponto de vista adotado e a posiçãoocupada no espaço social. Por meio da apresentação em profundidade de duas trajetórias, aponta-se comose articulam as relações entre práticas sociais, concepções e significados associados a determinados agentese grupos e os processos de redefinição institucional em que estão inseridos, buscando trazer nova luzsobre as transformações do espaço político e os processos de inovação institucional em curso no Brasil doperíodo.

Palavras-chave


elites militares; Exército; meritocracia; clientelismo; trajetórias sociais; military elite; Army; meritocracy; clientelism; social trajectories; élites militaires ; Armée ; méritocratie ; clientélisme politique ; trajectoires sociales

Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)